MISÉRIA, COMO EVITA-LA.

Pôr: Douglas Beyer – Tradução Mariangela Amorim

Por centenas de anos, pessoas sábias tem ponderado porque nós sofremos tão grande miséria. A miséria que nós causamos a nós mesmos ou aos outros é chamada de "pecado". Alguns pecados parecem ser mais miseráveis que outros. Esses são chamados "pecados capitais". No século VI, São Gregório, o Grande, os classificou em sete. No século XIII, Tomás de Aquino percebeu que eles eram mortais não somente porque eles eram de grande ofensa moral, mas porque promoviam outros pecados.

ORGULHO

O primeiro da lista é o orgulho – a mãe de todos os pecados. Orgulho foi primeiro pecado de Satanás que "não permaneceu no limite de sua autoridade" (Jude 6). Foi o pecado de Lucifer que disse: "Eu subirei aos céus; estabelecerei meu trono acima das estrelas de Deus....Serei como o Todo Poderoso" (Isaías 14: 13-14).

Orgulho é o pecado que nós mais desprezamos nos outros e menos observamos em nós.

Eu tenho ouvido pessoas confessarem seu pecado de alcoolismo, adultério, furto, e mesmo um temperamento difícil, mas nunca o pecado do orgulho. Isso não significa que não o tenhamos ou o odiemos: quanto mais o temos em nós, mais o odiamos nos outros. Ele é altamente detestado, não somente pelo humilde, mas também pelo orgulhoso. O orgulhoso odeia o orgulho nos outros. Pedro escreveu, " Cingi-vos de toda humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Humilhai-vos, portanto, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte." ( I Pedro 5: 5-6)

DEUS RESISTE AOS SOBERBOS

MAS DÁ GRAÇA AOS HUMILDES

Pedro citou Provérbios 3:34 para argumentar que pessoas orgulhosas tem um problema com Deus. Deus os resiste porque eles resistem à Deus primeiro. Isso fica óbvio quando nos lembramos do que é o orgulho. Existe muita confusão e falta de entendimento sobre o quê é o orgulho. Algumas definições nós gostamos, outras não.

Para começar, considere o que não é orgulho. Não é Orgulho sentir prazer em ser elogiado. A criança que recebe um mérito de honra, a mulher que é elogiada por sua beleza, uma alma salva para qual Jesus diz: " Bom trabalho ! " (Mateus 25:21), ficam satisfeitos. E eles devem estar. Mas o seu prazer pelas suas conquistas não deve ser sentido como uma medalha usada para impressionar os outros, mas porque agradaram alguém da forma certa.

Em segundo lugar, Não é Orgulho a admiração que você sente pela conquista dos seus amigos e familiares. Os pais que dizem: " Estou orgulhoso do meu filho" não estão confessando um pecado! Eu espero que você tenha orgulho dos seus filhos e que você demonstre isso. Por outro lado, ter orgulho dos antepassados pode ser um pecado – e certamente o é se com isso você desdenha a genealogia dos outros. Um cristão arrogante estava se gabando para seu vizinho judeu que, um dos seus tataravós assinou a Declaração da Independência. " Que bom, seu vizinho respondeu, " um dos meus escreveu os Dez Mandamentos!".

Repreendendo a filha sobre arrogância, um pai disse: " Lembre-se que somos todos feitos da mesma fôrma"

"Pode ser, " a filha admitiu, "mas alguns são mais formosos que outros"

Orgulho de raça e de lugares não é problema contanto que seja estima pela conquista e valor da família e amigos. Mas a partir do momento que menosprezamos os outros, torna-se pecado.

Em terceiro lugar, Não é Orgulho a satisfação de um trabalho bem executado. Não é pecado sentir-se bem quando se fez o melhor.

O quê, então, é orgulho? Orgulho é pôr-se a frente de Deus no centro gravitacional da sua alma. Fazer isso coloca tudo fora de equilíbrio. È o mesmo que colocar o automático da sua máquina de lavar no ciclo de secagem quando todas as roupas estão acumuladas de um lado: começa a chacoalhar tudo!

O orgulho insiste: "Minha vontade será feita" até que Deus fala ao insignificante, "Faça do eu jeito". " A coisa que queima no inferno tem vontade própria. " A estrada que leva ao inferno é feita de boas intenções" não porque essa intenções sejam sustentadas de maneira fraca e sem importância, mas porque são perseguidas com teimosia até que sirva ao seu próprio fim. O profeta Amós pergunta: "Podem cavalos correr sobre pedras? Pode o boi arar no mar? Parece idiota até de responder, mas não é mais idiota do que quando você zomba da justiça e corrompe e estraga tudo o que deveria ser bom e certo. È tão idiota quanto você regozijar em sua grandeza, quando você é menos do que nada! E se orgulha no seu insignificante poder! (Amós 6: 12-13)

Um homem sonhou que fez uma visita ao céu e ao inferno. Nos dois lugares as pessoas tinham longas colheres amarradas aos braços de forma que não podiam dobrar seu cotovelo. No inferno as pessoas estavam morrendo de fome porque não conseguiam alcançar a boca. No céu, elas estavam alimentando umas as outras.

Neste mundo insensível existem dois tipos de pessoas: as que compram casacos de pele e as que compram lenha, os que se aquecem e os que aquecem os outros. No porvir, o orgulhoso não achará aconchego em seu egoísta. casaco de pele

Orgulho é o pecado que não deixou Moisés entrar na terra prometida (Números 20: 10-12) e é o que nos afasta de sermos salvos. Deus oferece salvação como uma dádiva gratuita. Pela graça sois salvos mediante a fé, e isso não vem de vós. É um dom de Deus, não de obras para que ninguém se glorie". (Efésios 2:8-9). Mas você não quer a salvação da maneira de Deus. Você prefere ser salvo pelo seu esforço assim terá algo do que se gabar. Você não gosta de ser considerado como alguém que precise de caridade: receber algo de graça. Mas a bíblia ensina que é a única maneira de sermos salvos (Tito 3:5).

Orgulho é competidor. Nós falamos com freqüência que pessoas tem orgulho de serem ricas ou inteligentes ou bonitas, mas não é verdade. O que eles têm orgulho é de ser mais ricos, mais inteligentes ou mais bonitos que os outros. Se todos os outros podem ser igualmente ricos, inteligentes ou bonitos, eles não teriam nada do que se orgulhar. O orgulhoso não sente prazer por ter alguma coisa, mas em ter mais que os outros.

Deus resiste aos soberbos mas dá graça aos humildes, porque os humildes descansam debaixo da mão poderosa de Deus. Da mesma forma que entendemos erroneamente o orgulho, também o fazemos com a humildade. Quando minha esposa está desgostosa com sua aparência, eu a animo dizendo: " Está ótimo querida. Você está humilde!"

Quantos de vocês querem parecer humildes? Quantos de vocês sabem com o quê se parece a humildade? Você a reconheceria se a visse?

Humildade não significa menosprezo . Aqueles que se menosprezam são provavelmente os mais orgulhosos. Eles se escondem atrás de grandes paredes de arrogância para que não vejamos o quão insignificante eles se sentem por dentro. Quando eu era menino, eu ouvi um comentário sobre uma pessoa orgulhosa, " Eu gostaria de compra-lo pelo que ele vale e vende-lo por quanto ele pensa que vale". Um negócio ainda melhor seria compra-lo por quanto ele pensa que vale no seu interior, e vende-lo por aquilo que ele finge valer. O orgulho faz com que as pessoas aumentem seu valor para compensar seu sentimento de menosprezo.

Humildade não significa menosprezar-se. Significa perdoar-se a si mesmo. Não é ter uma opinião fraca sobre si mesmo, é não ter opinião alguma! Não é uma mulher bonita se achar feia, ou pessoas inteligentes se acharem burras. Isso é absurdo! Pessoas realmente humildes não são bajuladores sempre falando de quão terríveis eles são. Eles não tem conhecimento de sua humildade porque sua atenção não está neles mesmos, mas em você. Eles estão preocupados com o que você pensa, sente ou faz. Elas são as pessoas mais agradáveis de se conviver. "humilhai-vos, debaixo da potente mão de Deus, para que em tempo oportuno...."

DEUS VAI EXALTÁ-LO EM TEMPO OPORTUNO

Talento é um dom de Deus, por isso seja humilde. Os dons de Deus não estão em estantes uns sobre os outros, de forma que quanto mais alto você ficar, mais fácil os alcançará. Eles estão nas estantes, um abaixo do outro, para que quanto mais você se abaixar, pegará o melhor. Jeremias declarou, "Assim diz o Senhor, ‘O homem sábio não deve vangloriar-se de sua sabedoria, nem o forte de sua força, nem o rico da sua riqueza. Se alguém quer se vangloriar, vanglorie-se do fato de me conhecer e me entender" (Jeremias 9:23-24). Paulo pergunta, "Quem o fez superior aos outros? Não foi Deus quem deu tudo o que você possui? Então, como você pode vangloriar-se, sendo que recebeu tudo de graça? (I Cor. 4:7)

A fama é uma dádiva, por isso seja grato. O elogio é como o perfume: é para ser cheirado, não engolido. Isso se torna um vício com facilidade. O orgulho nos escraviza a opinião dos outros. O quê eles pensam controla as nossas vidas.

A presunção nos é inerente, por isso cuidado. Lembrem-se do barco a vapor que Abraão Lincon descreveu: tinha uma caldeira de 3 metros e um apito de cinco. Toda vez que o apito soava, consumia tanto vapor que o motor parava.

Lembre-se do sapo que viu vários patos voando para o sul no outono. Quando ele perguntou aos patos porquê, eles responderam: "Por que lá é mais quente." o sapo disse: " eu também gostaria de ir". Então ele achou uma vareta e pediu que dois patos a segurarem um em cada ponta com o bico e ele iria pendurado pela boca no meio. Funcionou! Quando eles estavam voando sobre uma cidade, um estudante de engenharia os viu e falou, "Isso é incrível. Eu imagino quem pensou nisso". O sapo respondeu, "eu pensei!".

O orgulho tem duas estações: uma primavera adiantada e um outono temporão. A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito a queda. (Provérbios 16:18)

J.D. Teague escreveu esta oração: " Eu era uma criança brincando de pique – esconde com você. E você me achou escondido no lugar mais bobo e triste, atrás de velhos rancores, debaixo de toneladas de desapontamentos, confuso e culpado, sufocado pelo sucesso, engasgando com soluços que ninguém ouvia. Você me encontrou, suspirou meu nome e disse, Te achei! E eu acreditei que era verdade". (De uma parede de um café de Abba em Chula Vista)

"Se humilhe perante a potente mão de Deus e Ele te exaltará em tempo oportuno".

GANÂNCIA

Tudo o que ele sempre quis na vida foi mais. Ele queria mais dinheiro , para que pudesse desfrutar de um patrimônio de bilhões de dólares. Ele queria mais fama, então ele foi para Hollywood e se tornou o maior cineasta da sua época. Ele queria mais prazeres eróticos, então ele pagou fortunas para ter suas necessidades saciadas. Ele queria mais emoções, então projetou, construiu e pilotou o avião mais veloz do mundo. Ele queria mais poder, então secretamente ele comprou o favor de dois presidentes dos Estados Unidos. Tudo que ele queria era mais. Ele estava certo que mais iria trazer satisfação. A História, no entanto, nos mostra o contrário. Howard Hughes terminou sua vida como um recluso miserável, seus braços furados pelas agulhas com que se drogava. Ele morreu como um traste bilionário traído pelo mito do mais.

Ganância vem da palavra grega que significa "ter mais". Ganância é um demônio que habita dentro de nós e que sussurra ao nosso coração, "Você deve ter mais do que já possui".

A romancista Dorothy Sayers têm indagado a igreja seriamente a respeito do pecado da ganância. "Os guardas de plantão nas portas das igrejas italianas excluem mulheres por estarem com os braços de fora, mas excluem alguém baseando-se no fato que estejam bem vestidos demais para serem honestos?" Ela pergunta. "Os comitês comunitários que reclamam de livros e peças "sugestivas", fazem algum esforço para reprimir a literatura que sugere que se dar bem é o principal objetivo na vida? Por acaso as igreja organizam cultos com uma reluzente congregação cantando A Completa Abstinência da Usura?"

Quando alguém perguntou a Jesus, "Mestre, ordena a meu irmão que divida a herança da família comigo," Jesus respondeu: "Homem, quem me colocou como juiz ou árbitro sobre vocês? (Lucas 12:13-14) Eu imagino que ele disse isso com uma piscada de olhos. Ele não é somente o juiz daquele homem, mas de todo o mundo (II Cor. 5:10; João 5:22). Mas nem ele ou nós pensamos muito a esse respeito, a menos que seja para nossa vantagem.

Julgamento, no entanto, não era o assunto que Jesus queria falar naquela hora. Ele mudou o centro da discussão par algo mais importante. Ele disse para o homem e para a multidão que estava ouvindo: " Acautelai-vos e guardai-vos de toda sorte de ganância; pois não é na abundância de bens que consiste a vida de quem os possui" (verso 15).

A GANÂNCIA PROCURA O CERTO

O homem ganancioso que pediu à Jesus que julgasse sua demanda com seu irmão, pensou somente em termos de certo e errado. "Fale para meu irmão dividir a herança da família comigo," ele exigiu. Ele pensou que tinha direito a sua parte. Jesus fê-lo pensar em termos de bom e mal. Ele não questionou o direito do homem. Nem tão pouco Jesus negou Sua autoridade para julgar a disputa da herança. Ele simplesmente perguntou quem deu a ele aquele direito. Então, sem esperar por uma resposta, ele prosseguiu para um problema mais crucial: ganância que separa os irmãos e destrói famílias. "Acautelai-vos, e guardai-vos de toda forma de ganância," Jesus avisou, porque a ganância é pior do que ser passado para trás. Não é suficiente pensar em termos de certo ou errado. Uma pessoa gananciosa pode estar legalmente certa e ser completamente má.

O talvez o nome Roland Diller não seja conhecido , mas era muito familiar para Abarão Lincon. Roland era seu vizinho em Springfield, Illinois. Como os vizinhos de muitos famosos, ele escreveu um livro. Em seu livro ele relata que um dia o senhor Lincon veio descendo a rua e carregando seus dois filhos , um em cada braço. Os dois estavam gemendo e chorando. "Senhor Lincon, ele perguntou, qual o problema?"

" O mesmo problema do mundo, Lincon respondeu. " Eu tenho três nozes e cada um quer duas".

Ganância é pecado, um dos sete pecados capitais. É um estado de espírito que constantemente quer mais. Quem é o mais satisfeito: o que possui 6 milhões de dólares, ou o que possui 6 filhos? A resposta é o que possui 6 filhos, porque o que tem 6 milhões de dólares quer mais. A ganância é insaciável. Quando perguntaram a Lyndon Johnson quanta terra no Texas iria satisfaze-lo, ele respondeu, " Tudo que quero é o que eu conseguir, mais a sua respectiva fronteira". O deus da ganância nunca se satisfaz.

A bíblia identifica a ganância como uma forma de idolatria, um dos prazeres do mundo que temos que "exterminar". (Col. 3:5). A bíblia associa a ganância com adúlteros, homossexuais, ladrões, beberrões e difamadores, e è motivo para ser excluído do reino de Deus. (I Cor. 6:9-10). Ganância pode afastar as pessoas do reino de Deus, mas não as excluí da igreja. Na verdade, nós acolhemos os gananciosos e as vezes os elegemos para os cargos mais importantes. Você já ouviu falar que alguém foi excluído do quadro de diáconos porque fosse cheio de " torpe ganância "? (I Tm. 3:8) Essa é uma desqualificação que nenhuma igreja que eu conheço leva a sério.

Uma velha piada diz que um avarento é um péssimo vizinho e um ótimo ancestral. Nós não colocamos os gananciosos na mesma categoria dos adúlteros, homossexuais e ladrões. Nós achamos que a ganância é ruim, mas não tão ruim. A maldade não está somente no pecado em si mesmo, mas como todos os pecados capitais, é uma atitude que leva a muitos outros pecados. As pessoas que querem mais se tornam duras de coração, especialmente quando pensam que estão somente exigindo o que é seu de direito.

O que nos faz pensar que temos direito a coisas materiais? O mundo moderno adotou o conceito Romano de propriedade que deu base ao queixume dirigido à Jesus. A lei romana declara que o dono da propriedade tem direito absoluto sobre sua possessão. Nós adotamos esse conceito e o seqüestramos para a ganância. Juntos, eles tornaram-se uma equipe fujona, que tem trazido o mundo a beira do desastre.

No filme Wall Street, Gordon Gekko, fez um entusiasmado discurso aos seus corretores da bolsa de valores. Ele falou, também, para muitos em nossa sociedade materialista: Ganância, por falta de uma palavra melhor é algo bom. Ganância é correto. Ganância funciona. A ganância clareia, traspassa e captura a essência do espírito desenvolvido. Ganância, em todas as suas versões, ganância pela vida, ganância pelo dinheiro, ganância pelo amor, ganância pelo conhecimento, tem marcado o progresso da humanidade." Por outro lado, Jesus disse: "Acautelai-vos e guardai-vos de toda forma de ganância".

A ganância tem sido chamada de "empreendimento". Ela gaba-se de anunciar uma nova virtude: "motivação de lucro". Parece tão inteligente e sofisticado que ninguém consegue acreditar que seu coração é frio e calculista. Além do mais, onde está o seu coração? A ganância tem sido instituída nas juntas e medula da nossa sociedade corporativista que, diferente dos indivíduos, não possui coração para ouvir apelos nem alma para ser amaldiçoada.

Quando as pessoas são esmagadas pelo sistema ninguém é responsável. Quando Deus olha para a terra, Ele vê alguns de seus filhos desfrutando uma vida de abundância de coisas materiais. Eles estão preocupados com o excedente das colheitas, controle de peso, espaço do closet e lugar para estacionar. E ao mesmo tempo, Deus também vê muitos outros dos seus filhos, amados da mesma forma, que não tem essas preocupações. Eles vão para a cama com fome toda noite. Alguns dos seus filhos vão morrer de fome este ano. Isso não é justo! Mas ninguém se sente responsável. Nem os fazendeiros, nem os mercadores, nem os varejistas, nem os cidadãos, nem o governo.

Nós não sabemos de quem é a culpa. A única coisa que sabemos é que não pode continuar como está. O mundo não pode sustentar as nações ricas. Menos de um terço das pessoas do planeta consomem ¾ da energia não reciclável do mundo. Não reciclável significa que uma vez usada, acabou para sempre! Deus não está criando mais petróleo. Todo litro que nós queimamos, é um litro que ninguém mais vai poder usar. Isso tem sido tirado não só do pobre, mas dos descendentes dos ricos.

Quando o Iraque cobiçou o Kwaite e invadiu as circunvizinhanças, os Estados Unidos, a Europa e aliados do Oriente Médio, se armaram contra a agressão do Iraque. Porque? Bem, foi realmente muito honravel defender uma pequena nação que estava sendo cercada por seu inimigo ganancioso do norte. Mas esse não foi o único motivo que ouvimos. Algumas pessoa dizem que essa guerra foi para ser preservado o "estilo de vida americano". Isso quer dizer gasolina e diesel barato. Eles estavam dispostos a sacrificar centenas de jovens, moços e moças, para que pudessem encher o tanque com menos de um 20 centavos de dólar o litro. Se a família das nações pudesse pedir ao Senhor dos céus e terra: "Diga para os árabes dividirem o combustível conosco, Jesus responderia: "Homem, quem me colocou por juiz sobre vocês? Acautelai-vos e guardai-vos de toda forma de ganância; porque ter mais, não significa necessariamente, viver melhor". O que morre com a maior quantidade de brinquedos não é o vencedor.

GENEROSIDADE PROCURA O QUE É BOM

Pode ser correto para as povos e pessoas ricas ganhar e dispor de sua riqueza de qualquer maneira, desde que legal. Jesus não fala se é de um jeito ou de outro. Ele fala sobre o que temos obrigação de pensar. Ele não pergunta: "está certo?" mas "isso é bom?". E também nos deixa esse princípio: "Nem quando alguém possui muitos bens, sua vida consiste na sua riqueza. A vida é mais importante que comida, e o corpo é mais importante que roupas (Mateus 6:25). "Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e as demais coisas vos serão acrescentadas" (Mateus 6:33). Essa é uma lição que Howard Hughes nunca aprendeu. Você já aprendeu? Talvez você não teve que ir tão longe no seu egoísmo como ele. Mas pense aonde você está indo. Mais cedo ou tarde, você vai se cansar tanto de beber em um copo de areia que dirá: "Estou pronto para a água viva". Você pode faze-lo agora, ou daqui quinze anos, depois de ter passado por dois ou três casamentos e ter deixado uma trilha de crianças infelizes e corações machucados para trás.

O credo da ganância diz: "Buscai primeiro todas essas coisas e o reino dos céus vos será acrescentado". Não funciona assim.

Jesus ilustrou esse princípio com a parábola do rico tolo, e como seu dinheiro custou a ele todo o resto que possuía. " A terra de um homem rico era muito produtiva. E ele pensou consigo mesmo, dizendo: "O que farei se não tenho lugar para colocar minha colheita? Farei isso: Vou destruir meus celeiros e construir outros maiores e armazenarei toda minha semente e meu produto". E direi para minha alma " tens muitos bens para se regalar por muitos anos; descanse, coma, beba e se alegre. "Mas Deus disse a ele: "Louco! Esta noite mesmo pedirão tua alma, e quem herdará tudo que preparou?"

Então Jesus chegou no ponto que queria: "Assim é o homem que acumula riquezas para si, e não é rico para com Deus".(Lucas 12: 16-21).

A questão não é certo ou errado, mas bom ou mal. O fazendeiro tolo ganhou sua riqueza honestamente. Ele não roubou ou recebeu herança. Ele ganhou com trabalho duro. Sua terra era muito produtiva. Todo agricultor sabe que a terra não dá boa safra sem muito suor e esforço. Além do mais, não existe nada errado em construir celeiros, ter uma vida regrada e se divertir. Mas Deus chamou este homem de tolo porque ele não era esperto o suficiente para perguntar: "O quê é bom?" Ele só sabia o que era certo.

Os teólogos da igreja primitiva ecoavam o aviso de Jesus. Cryssostom (nascido em 345 DC) disse: " Deus investiu capital em você. Não é sua possessão, mas um empréstimo que Ele fez para te dar a oportunidade de exercitar a misericórdia aos necessitados". Augustino (nascido em 354 DC) disse: " Descubra quanto Deus tem lhe dado e tire o que você precisa. O que sobrar do desnecessário, é necessário para outros. As superficialidades dos ricos são as necessidades dos pobres. Os que retém o que é supérfluo possuem os bens dos outros". No Grande Divórcio, C.S.Lewis mostra pecadores incapazes de escolher o céu por causa da ganância, preguiça e inveja. Esses são verdadeiramente pecados mortais.

A ganância procura o quê é certo. Generosidade procura o que é bom. O quê você está procurando? E quando você finalmente conseguir o que quer, você vai querer o que tem?

 

LUXURIA

Alguma coisa está distorcida na forma como pensamos sobre sexo. O professor de Cambridge/ Oxford, CS Lewis, ilustra a situação. "Você consegue juntar uma grande multidão para assistir um strip-tease, ou seja, uma moça tirar a roupa no palco. Agora, suponha que você fosse a um país que consegue encher um auditório pelo simples fato de apresentar um prato de comida no palco e vagarosamente levantar a tampa e deixar todos verem, e bem antes das luzes se apagarem, vê-se que o prato contém um pedaço de carne picada ou uma fatia de bacon, você não acharia que naquele país alguma coisa estava errada com o apetite das pessoas? E os que tivessem crescido num mundo diferente não pensariam algo igualmente anormal sobre o sexo instintivo entre nós?"

Agora, algumas pessoas pensam que não é um problema. Além do mais, é só pensamento, não estamos fazendo nada.

O QUÊ NÓS PENSAMOS É IMPORTANTE

Há trezentos anos, Thomas Traherne disse: "Como não há nada mais fácil do que pensar, nada é mais difícil do que pensar o bem". Há dois mil anos Jesus disse: "Do coração procede pensamentos malignos, homicídios, adultérios, prostituição, roubo, falso testemunho e blasfêmia" (Mateus 15:19). Embora os psicólogos levem a sério fantasias, nossa sociedade permissiva não o faz. "Pense o quê você quiser. Só não o faça se magoar alguém." Nós permitimos que a Lei Civil se tornasse nosso código moral. As Leis Civis só regulam o comportamento externo. O código moral controla pensamentos íntimos.

Nosso mundo moderno tem separado o pensamento do comportamento, com o intuito de dar liberdade ao que pensamos e restringir a maneira como nos comportamos. Com liberdade sem nenhum bom senso, nossas propagandas, entretenimento, arte, literatura e filmes, instigam nosso apetite e sugerem que, disciplina e domínio próprio não são saudáveis. Enquanto isso, nossos presídios e hospitais psiquiátricos lotados, abrigam as seqüelas da nossa degradação moral. Nós não somos nem saudáveis, nem praticantes legais.

Tanto pelo bem da nossa ordem social, como pelo bem estar do indivíduo, alguém precisa dizer: "Você é responsável pelo que pensa tanto quanto pelo que faz". Teólogos do cristianismo primitivo, classificaram sete pecados capitais. Eles os chamaram capitais porque eles são estados de espírito que nos levam a outros comportamentos pecaminosos: luxúria, ira, glutonaria, inveja, preguiça, orgulho e avareza. Essas não são coisas que fazemos. São coisas que pensamos e sentimos. E elas nos tornam miseráveis.

PENSAMENTOS ERRADOS SOBRE SEXO É PECADO

Fortunas tem sido edificadas através do comercio pornográfico. O contrabando e cocaína não são nada se comparados ao comércio sexual. Uma pesquisa recente mostra que 94% das atividades sexuais nas novelas diurnas acontecem com parceiros que não são casados entre si. Não é de se estranhar que isso tem sido aceito pela sociedade como um comportamento normal.

A Dra. Ruth Westheimer, que possui um programa de entrevista especializado em sexo, disse no programa da NBC Today Show: "As gerações passadas não falavam sobre sexo; a nossa não fala sobre moralidade." Vamos ouvir o que Jesus tem a dizer sobre a luxuria. " Vocês ouviram o quê foi dito: ‘ Não adulterarás, mas eu vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher com cobiça já adulterou com ela em seu coração." (Mateus 5:27-28)

Quantos de vocês nunca cometeu adultério em seu coração? Eu já tinha imaginado: nós somos todos um bando de pecadores! Jesus nunca nos deixa apontar acusação aos outros. Ele nos faz pensar não em termos de "outros" mas de "nós", não "aqueles" pecadores, mas "nós" pecadores, não o problema "deles", mas o "nosso" problema. Ele não disse "Vigiai e orai para que não pequeis". Ele disse "Vigiai e orai para que não cair em tentação". (Mateus 26:41). Pôr quê? Porque todos estamos aptos a cair.

Jesus não proibiu todo pensamento pré - conjugal ou extra – conjugal , mas somente "os que te fazem tropeçar", "aqueles que são desobediente e sem honra para com Deus e exigente e destrutivo às pessoas. Ninguém deve se sentir culpado por ter apetite sexual. Mas somente um tolo intensificaria deliberadamente seu apetite pelo proibido. Pornografia sem controle é como uma canibal cometer suicídio, mordiscando a si mesmo.

C S Lewis disse: "O quê você pensa é uma coisa; o quê você imagina enquanto está pensando é outra". Embora Jesus fale especificamente aos homens que tem a imaginação propensa ao pecado, suas palavras também servem às mulheres que podem não ter inclinações á fantasias sexuais por si mesmas, mas que constantemente estão flertando com as fantasias dos homens.

Como pode então, o homem e a mulher, controlar fantasias sexuais pecaminosas? Jesus sugere: "Se o seu olho direito te faz pecar, arranca-o; porque é melhor que uma parte do seu corpo pereça e entrares no céu do que teu corpo inteiro ir para o inferno. E se a sua mão direita te faz pecar, arranca-a; porque é melhor que uma parte do seu corpo pereça e entrares no céu, do que teu corpo inteiro ir para o inferno."(Mateus 5: 29-30) Jesus ( e o bom senso!) diz para eliminarmos qualquer coisa que nos leve a pecar. Eu creio que esse aviso deve ser levado a sério, mas não literalmente. Afinal de contas, podemos ver tanto com o olho esquerdo como com o direito, e fazer tanto com a mão esquerda como com a direita. O pecado não está nem no olho, nem na mão, mas sim no coração.

Repare que é uma cirurgia feita por você mesmo. Ninguém deve amputar o olho do irmão ou da irmã. O princípio de Jesus (que devemos eliminar aquilo que nos leva a pecar) não impõe um código de conduta para todos. O que me leva a pecar, pode não fazer nada em você. Nós temos que estar atentos a nossa vulnerabilidade individual, e controlar nossos pensamentos e circunstâncias de acordo com nossa fraquezas.

Como então podemos eliminar pensamentos pecaminosos? Como nos livrar de modelos iníquos de pensamentos? Quanto mais nós tentarmos, mais difícil será. Se alguém nos pedisse para não pensar em picles, pode ter certeza que você pensaria em picles. Como, então, você pode controlar seus pensamentos?

Eu sugiro ferramentas cirúrgicas. Algumas ajudam mais que outras. Use a que forem mais úteis para você.

A primeira ferramenta é risada. O Apetite sexual é roubado de nós com mais rapidez quando nós o tratamos com humor do que com seriedade.

A segunda ferramenta é confissão. (Ver Tiago 5:16). Luxúria é um inimigo enganador e escondido que não suporta ser exposto. Seja honesto com Deus. Concorde com ele sobre sua situação, seus pensamentos e seu comportamento. Lembre-se, Deus perdoa os pecados, mas não perdoa desculpas.

A terceira ferramenta é amor. A luxúria egoísta pode somente ser destronada por um amor mais forte que busca o bem estar dos outros. (veja Mateus 12:43-45). Luxúria não é amor. A luxúria quer só o prazer. O amor quer quem causa o prazer. O prazer é um sensor que acontece dentro do corpo de alguém. Tem-se dito com freqüência que um homem cheio de luxúria quer uma mulher. Mas não é o que ele quer. O que ele realmente quer é um prazer do qual a mulher vem a ser um instrumento. Luxúria é o que leva as pessoas a querer sexo, mesmo quando não se tem interesse na outra pessoa.

Desejos não desaparecem só porque você quer. Eles não se desfazem como uma bola de sabão quando você ora, mas eles tendem a sumir para segundo plano quando são tirados do seu lugar por desejos mais fortes. Amor é o que faz as pessoas quererem estar umas com as outras, mesmo quando não existe desejo sexual. Paulo receita: " Quanto ao mais irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, nisso pensai" (Filipenses 4:8)

Você é o quê é e onde está por causa do que se passa na sua cabeça. Lixo para dentro, lixo para fora, refere-se ao seu pensamento. Isso deve fazer diferença com relação aos filmes e vídeos que você assiste.

A quarta ferramenta é sacrifício. Você pode ser livre somente se distinguir o bom (seu olho e mão direita) do melhor (seu corpo). Se necessário, você deve estar pronto a desistir de amigos e circunstâncias atrativas por algo melhor: paz e santidade com Deus.

Igual a uma coceira ou picada de pernilongo, quanto mais você coçar a luxúria, mais ela coçará. A estrada para o inferno passa pelo vale da auto - indulgência e auto – escravismo. Aqueles que percorrem essa estrada são prisioneiros dos seus apetites e estão dispostos a botar fogo numa igreja para assar um cachorro-quente.

Você não é o quê você pensa que é. Mas o quê você pensa, você é! O sábio Salomão disse: "Como um homem pensa em seu coração, assim é ele." ( Provérbios 23:7). Nenhum de nós é o que deveria ser, mas todos nós podemos ser melhores do que somos. Nós só precisamos "deixar as palavras da minha boca e a meditação do meu coração ser agradáveis a sua vista". E não existe na terra maneira de fazermos isso a não ser por Deus ser " a nossa força e nosso resgate". ( Salmos 19:14).

INVEJA

Todo pecado carrega em si a sua pena. Isso é especialmente verdadeiro sobre o pecado da inveja. Inveja é uma palavra pequena que é uma obscenidade para o espírito humano. É fácil ver como alguém pode desejar cometer adultério ou assassinato, ou mentir e sentir prazer nisso, mas você consegue imaginar alguém desejando sentir inveja? Ainda assim nós invejamos, mesmo que não exista nenhum prazer nisso. A inveja é um pecado mortal e uma pena miserável. Tiago nos diz: "Onde há inveja e ambição torpe, existe desordem e tudo que é maligno" (Tiago 3:16). Inveja é um pecado que ninguém quer sentir. Mas todos sentem. Martinho Lutero disse: "Muitos cristãos tem inveja dos prazeres dos pecadores e da alegria dos santos, porque eles não tem nenhum dos dois."

A inveja tem muitas formas.

A inveja da posse diz; "Eu queria ter sua casa, carro ou roupas"

A inveja de posição diz: "Eu queria ter seu trabalho ou um diploma"

A inveja do privilégio diz: "Eu gostaria de ter sua liberdade ou oportunidades"

A inveja de pessoas diz: "Eu gostaria de ter sua aparência ou talento ou educação"

A inveja é o único pecado mortal que também está nos Dez Mandamentos: "Não cobiçarás a mulher do teu próximo, ou seu servo e serva, ou gado ou jumento ou qualquer dos seus pertences." (Êxodo 20:17)

O PECADO DA INVEJA

A inveja está entre nós desde que Caim assassinou Abel. A inveja é o pecado dos que não tem contra os que tem, diferente do pecado da ganância que é os que tem conta os que não tem. Isso não significa que temos que ser pobres para ter inveja, porque os ricos raramente sabem quem são. Por outro lado, os pobres sabem quem são os ricos: Eles são as pessoas que tem 50% a mais do que nós. Pobreza é um estado de espírito induzido pelo caro novo do nosso vizinho. Pessoas invejosas numeram as bênçãos dos outros ao invés das suas.

Inveja é a lama que o fracasso atira no sucesso. O rei Saul estava muito feliz quando o povo cantou: "Saul matou seus milhares", até que eles acrescentaram: "e Davi seus dez milhões" (I Samuel 18:7-8). A partir daquele dia ele tentou matar seu rival. A inveja começa com a pergunta: "Porque eu não posso desfrutar do que os outros desfrutam?" e termina exigindo: "Porque outros podem desfrutar do que eu não posso?" Você conhece a história do pastor que ficou desapontado porque não foi convidado para o picnic do seu vizinho? Mais tarde, quando eles vieram para convidá-lo, ele respondeu: "È tarde demais, já orei para que chova".

A inveja é um grande nivelador. Se não consegue nivelar as coisas para cima, as nivelará para baixo. Melhor dizendo, é uma escala social; pior dizendo, é um destruidor. Na antiga Grécia, Aesop conta sobre o homem ao qual Zeus tinha dado o direito de qualquer desejo, desde que seu vizinho ganhasse o dobro. Ele pediu uma carruagem, e seu vizinho ganhou duas. Ele pediu uma mansão e seu vizinho ganhou uma duas vezes maior. A história termina com o homem pedindo para ser cego de um olho! "Acautelai-vos, meu Senhor, da inveja. È um monstro de um olho só que zomba da carne que o alimenta" (Sheakespeare, Otello).

A inveja vê outros como competidores do reconhecimento, ao invés de companheiros no progresso. Quando perguntaram à um psicólogo se ele achava que as mulheres eram os melhores juizes de si mesmas, ele respondeu: "Sim, e também as melhores executoras!"

A inveja se veste de muitos disfarces. É difícil de identificar o quanto ela destroi pessoas e instituições. Algumas vezes assume a forma da verdade e competência enquanto desilude pessoas honradas. Alguma desilusão, claro, é saudável e necessária. Hipócritas, que brotam como cogumelos as sombras da nobre virtude, deveriam ser descobertos e arrancados. Mas a inveja não é o veneno certo para esse propósito. A inveja destrui toda planta, tentando matar o parasita.

Judas desprezou Maria quando ela ungia Jesus. "Porque esse perfume não foi vendido"? Ele reclamou, "e o dinheiro dado aos pobres." (João 12:4). Ele fez Maria parecer uma transgressora do mandamento de Jesus ao jovem rico: "Vai vende tudo que tens e dá aos pobres" (Mateus 19:21). Mas o verdadeiro problema de Judas, não era a extravagância de Maria, mas sua inveja. A inveja faz pessoas boas parecerem perversas.

Paulo escreveu: "Andemos como de dia, não em orgias e bebedices, nem em promiscuidades, nem em contendas e ciúmes.(Romanos 13:13). Ele coloca o ciúmes em companhias bem malignas. Bebedices e promiscuidade sexual são pecados da carne; inveja é um pecado do espírito o que é ainda pior. O irmão mais jovem na parábola do filho pródigo pecou na carne, com orgias, bebedices e promiscuidade. O irmão mais velho pecou no espírito, com inveja. No final, nós encontramos o que pecou na carne dentro da casa do pai, enquanto o que pecou no espírito, do lado de fora. (Lucas 15:11-32). A inveja vai te empurrar para fora da casa do Pai mais rápido do que qualquer coisa. Jesus disse para os religiosos da sua época: "As prostitutas estão indo para o reino de Deus primeiro que vocês" (Mateus 21:31). Todo pecado é mal, mas pecados do espírito são piores do que pecados da carne.

Foi o pecado da inveja que cravou Jesus na cruz. Pilatos "sabia muito bem que o chefe dos religiosos o haviam entregado porque tinham inveja dele" (Marcos 15:10).

Inveja patrocina o inferno no coração humano. Não permite satisfação, nem segurança, nem paz, somente descontentamento do desejo egoísta. Como podemos então nos livrar da inveja?

A VIRTUDE DO CONTENTAMENTO

Nós podemos nos deslocar do pecado da inveja à virtude do contentamento, fazendo duas coisas. Primeiro, sermos moderados em nossos desejos. Um homem sábio orou: "Não me dê nem riqueza, nem pobreza" Dê-me somente o suficiente para satisfazer minhas necessidades! Para que se eu enriquecer, não me afaste de Deus, e se eu ficar muito pobre, não venha a roubar" (Provérbios 30:8-9). Muitos oram para serem libertos da pobreza e seus perigos, mas poucos querem ser libertos da riqueza e seus perigos. Contentamento sem Deus é uma tentação atraente a despeito de ser impossível. Augustinho, sabia disso. Ele orou: "Ainda que nos tenha feito para Si e nossos coração estejam inquietos para descansar em Ti, ainda assim há muitos que tolamente lutam para obter mais dinheiro do que fé".

O contentamento pode vir tanto por ter mais quanto por esperar menos. O contentamento que vem do fim e´ sete vezes mais durável do que o que vem primeiro. Nós temos que aprender a estar satisfeitos com nossa porção. Robison Crusoé, sozinho em sua ilha disse: "Eu não possuo nada que não queira, e não quero nada que não possua". Como Paulo disse à Timóteo: " De fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento." (I Timóteo 6:6)

"O amor não é ciumento" (I Coríntios 13:4). O amor nos faz satisfeitos com o que temos e descontentes com o que somos. Os que estão satisfeitos têm o suficiente. Os que reclamam têm muito.

Malcon Muggeridge, antigo editor da revista Punch disse: "Eu posso, eu acho, a despeito do passado ou presente, me considerar um homem de sucesso. As vezes as pessoas me encaram na rua e isso é fama. Eu posso facilmente ser incluído nos escalões mais altos do ganho internacional, isso é riqueza. Provido de fama e dinheiro, mesmo na velhice, se assim quiser, posso ser suprido de diversões diversas, isso é prazer. Pode ter acontecido uma vez ou outra de algo que disse ou escrevi me chamou a atenção o suficiente para eu achar que poderia causar um grande impacto no mundo, isso é satisfação. Mesmo assim, eu digo a vocês, e eu imploro para acreditarem em mim, multiplique esses pequenos triunfos por um milhão, junte todos, e são como nada, menos que nada, são uma seca, se comparados a água viva que Cristo oferece ao espírito, independente de quem ou o quê sejam. O quê, eu em pergunto, contém a vida, nas conquistas do tempo, passado, presente e futuro, que poderia ser colocado na balança em contra peso ao refrescante saciamento de beber aquela água?"

Para sair do pecado da inveja par a virtude do contentamento, primeiro nós devemos ser moderados nos nossos desejos. Segundo, nos devemos nos adaptar as nossas circunstâncias . Paulo disse: "Eu aprendi a me satisfazer com o que tenho......eu aprendi esse segredo, por isso, em qualquer lugar, em qualquer tempo, eu estou satisfeito, com fartura ou com fome, com muito ou com pouco, tenho força para enfrentar todas as situações (como?) pela graça de Cristo em mim" (Filipenses 4:11-13).

No batismo, os cristãos fazem um voto que diz: "Na pobreza e na riqueza, para o melhor ou pior, na doença ou na saúde, para amar, honrar e cuidar até que a morte nos separe." E na verdade, além da morte. Fé significa acreditar que Deus fez esse voto por nós, e Jesus Cristo é a prova.

Deus nos fez como somos e nos colocou onde estamos. Inveja é achar que ele cometeu um erro. O sábio Eliú disse: "Se você se opõe ao que Deus faz, pode esperar que Ele faça o que você quer? (Jó 34:33).

A inveja é um pecado mortal e uma pena miserável. O doloroso poder que a inveja tem sobre você só pode ser vencido pelo maior poder de Jesus Cristo. Um coração cheio de Jesus, terá tanta inveja de alguém como a águia do pardal. Aqueles que possuem Jesus e mais nada, são mais ricos do que aqueles que possuem tudo, menos Jesus.

Esteja sempre satisfeito com o que você possui , mas nunca se satisfaça com quem é . Livre da inveja, conte com Jesus Cristo para completar o trabalho em você: "Vos aperfeiçoe em toda boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável, por meio de Jesus Cristo, ao qual seja toda glória para sempre, amém. (Hebreus 13:21).

GULA

A glutonaria é o pecado mais impopular do mundo. Não que as pessoas não o comentam, elas apenas não querem ouvir sobre isso. Na lista de homiletica de um pregador, que contem 42.176 sermões, não existe um único sobre a gula. Quando foi a última vez que você ouviu um sermão, não da sua esposa ou marido, mas de um pastor?

Porque os pastores se calam sobre esse pecado? Será porque não é realmente um pecado? Será porque ofende amigos? Será porque os pastores se sentem culpados pela sua própria gula?

As pregações sobre a gula são muito mais necessárias hoje em dia do que nos dias dos profetas e apóstolos. Eles pregavam contra a gula, nós a praticamos. Desde que Adão e Eva caíram pelo primeiro comercial de comida, nós estamos em grande problema. O sábio Salomão disse: Coloca uma faca em sua garganta, se és glutão" (Provérbios 23:2). Paulo denuncia "aqueles cuja o deus é a barriga" (Filipenses 3:19). Sua cozinha é seu santuário, o cozinheiro seu sacerdote, sua mesa seu altar e sua barriga o seu deus.

GLUTONRIA É UM PECADO CARO

A gula não é somente pecado; também é cara. Nos custa nossa saúde. O vício de comida encurta mais vidas do que o vício de drogas. Eu não estou falando do hábito alimentar dos outros. Estou falando do meu. Eu tenho fraqueza por sonhos, refrigerante, chocolate e pipoca. Embora eu não seja gordo (ainda), eu temo muito que, ao menos que eu mude de comportamento, Deus vai me afligir com o problema que eu vejo nos outros. Eu confesso por livre e expontânea vontade que gula também é meu pecado.

Gula, como a luxúria e a ira, é um problema de comportamento. Nós não podemos distinguir o pecado dos santos apenas pela medida da sua cintura. Algumas pessoas magras são glutonas com a benção de um metabolismo que permite esconder o seu pecado. Algumas pessoas gordas são amaldiçoadas com um metabolismo que os faz ganhar peso de forma acelerada. Nós não devemos julga-los.

O seu problema é descrito em Romanos 7:15-18. Leia substituindo a palavra "fazer" pela "comer". "O que como, não entendo. Pois o que quero, isso não como, mas o que aborreço, isso como. E se como o que não quero, consinto com a lei que é boa. De maneira que já não sou eu quem como isso, mas o pecado que habita em mim. Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum. Com efeito o querer está em mim, mas não consigo comer o que é bom."

Porque eu continuo comendo depois de já estar satisfeito? Porque eu como petiscos quando não estou realmente com fome? Pode ser que eu esteja tentando alimentar uma fome que não é física. Não funciona. Faz mal tanto para o corpo como para o espírito.

A alguns anos, a mídia fez gozação com a Roberts University, por ter sido processada por um aluno que foi discriminado pelo seu peso. A Universidade levou a sério seu objetivo de melhorar o todo: o corpo, a mente e o espírito. Os alunos acima do peso seriam suspensos a menos que eles começassem uma dieta. Ou os alunos perdiam peso, ou caíam fora!

Comparado com o gigantesco pecado de adultério, furto e assassinato, a gula é um anão. Porque Deus se importa com isso? Que diferença faz para ele o quanto nós comemos? Deus criou e se importa com a pessoa no seu todo, não somente sua alma,, mas seu corpo também. É na verdade, o templo do Espírito Santo ( I Coríntios 6: 12-20). È onde ele mora. Ele quer que nós o conservemos em boa forma e bem cuidado. A bíblia diz: " Ouça filho meu, seja sábio e considere a forma como vives. Não se associe com beberrões de vinho e comilões. Bebedice e glutonaria levam a pobreza." ( Provérbios 23:19-21)

Nós, pregadores, temos sido muito seletos em nossa ética bíblica. Nós temos muitas pregações sobre beber demais, e nenhuma sobre comer muito. Mas a bebedice e a gula estão debaixo da mesma condenação.

A gula se refere a mais do que comida. Um apetite guloso por comida destroi nossa saúde, mas um apetite guloso por coisas destroi nossa saúde econômica e espiritual.

A gula nos custa nossa felicidade. Que irônico! Felicidade é o que o deus da gula promete nos dar. Existem poucos prazeres tão inocentes quanto comer moderadamente uma boa refeição. Mas comer demais não aumenta o prazer. Diminui. A cura para todo problema do ser humano é consumir. Você está deprimido? Vá fazer compras. Compre uma pílula, um barco, um carro ou uma casa. Compre alguma coisa e serás feliz.

A raça humana é o único animal que quanto mais tem, mais quer. O seu cachorro não quer mais do que queria o seu ancestral, que viveu no tempo das cavernas. Os gatos e cachorros estão satisfeitos com o que os gatos e cachorros tinham a mil anos atrás, mas nós não. As pessoas são diferentes. Dê um centímetro, querem um metro. Dê um metro, querem dez metros. Dê os dez metros e eles querem uma piscina nele.

A gula humana é como uma picada de pernilongo: quanto mais coçar, mais coça. Consumo desenfreado desenvolve novos desejos e novas misérias. Eu ri de um desenho onde um homem num balcão de uma loja de presentes pergunta para a vendedora; " O quê você tem para uma mulher que tem tudo e não é feliz com nada?"

Nós estamos procurando felicidade em todos os lugares errados. O centro da nossa busca mais gulosa é também o centro da falha humana. O índice de suicídio em Nevada é duas vezes maior que a média nacional. Esse índice não está entre os criadores de carneiro, mas nos lugares mais badalados e cheios de prazer.

O psicólogo, Eric Fromm disse: "O mundo se transformou num grande seio, e o homem num eterno sugador, esperando sempre, e para sempre desapontado." Nós transformamos nossas coisas em deuses, e eles se transformaram em demônios que nos perseguem. Uma vida abundante não está numa abundância de bens (Lucas 12:15). Gula é um pecado caro.

SIMPLICIDADE É UMA VIRTUDE SENSÍVEL

Aqui vai um quebra-cabeças. Uma vez que a vida de riqueza falhou tão miseravelmente em satisfazer o espírito humano, porque não estamos desejosos em ter uma vida mais simples? Porque precisamos de sermões sobre o perigo da glutonaria? Porque nós não aprendemos quando é suficiente? Porque não prestamos mais atenção quando a bíblia fala dos perigos de adquirir riquezas?

A resposta é que nossos desejos são influenciados mais pela cultura do que por Cristo. A propaganda enganosa da riqueza é tão penetrante nas nossas mentes que somos enfeitiçados para pensar que a simples alternativa bíblica é absurda, ou pelo menos, irrelevante. Com seguidores Dele que era pobre, não por necessidade, mas por escolha, que viveu sua vida com os menos afortunados e que freqüentemente avisavam dos perigos da riqueza, nos sentimos nos sentimos pouco confortáveis com nosso carrinho de supermercado cheio de caríssimas porcarias. (Filipenses 2:3-8; Mateus 6:24; 19:24).

Preocupados com nossa insignificante máquina de lavar pratos, nós nos esquecemos o que Jesus disse sobre acumular tesouros onde a ferrugem corrói e os circuitos falham (Mateus 6:19). Preocupados com o financiamento que vence no próximo mês e as contas do cartão de crédito, em nossa casa com ar condicionado, nós queremos providência divina Daquele que não tinha onde repousar a cabeça.

A árvore proibida do paraíso significava um limite que Adão e Eva não poderiam consumir. (Gênesis 2:17). E ele ainda existe. O mana era suprido ao povo de Israel no deserto, diariamente. Estocar era proibido (Êxodo 16:19). Eles não tinham direito divino a uma porção extra de mana. Nem nós! Celeiros maiores na parábola de Jesus não enriqueceram o homem tolo. (Lucas 12:13-21).

Se nós vamos adotar um estilo de vida mais bíblico, teremos que simplificar. Simplificar a vida, não significa abandonar as lâmpadas, mas olhar as estrelas. Quando um turista americano visitou o renomado rabi Hafetz Chaim, ele ficou surpreso ao encontra-lo num quarto simples cheio de livros, uma mesa e um sofá. "Onde está sua mobília?" ele perguntou

"Onde está a sua?" o rabi perguntou

"Minha? Eu sou só um visitante. Eu apenas estou de passagem".

"Eu também" o rabi respondeu.

O escritor Ernest Hemingway disse: "O homem que passa a viver com mais seriedade por dentro, passa a viver com mais simplicidade por fora."

Comida saborosa quando degustada com moderação, é um dos prazeres da vida, mas comer em excesso, dissolve o prazer e acrescenta miséria. O que é verdade sobre a comida, também o é sobre bebida e todas as coisas que consumimos. Nossa gula nunca será satisfeita se consumirmos mais e mais. Nós só seremos satisfeitos em Jesus Cristo que é o pão e água da vida Ele disse: "Aquele que vem a mim, jamais terá fome; aquele que crê em mim jamais terá sede". (João 6:35)

Eu te ofereço algo melhor do qualquer dieta que você já tentou. Eu te ofereço Aquele pelo qual sua alma tem fome. Nada do que você consumir irá substitui-lo. "Porque você gasta todos os seus bens como quê não é pão, e seu salário com o que não pode satisfazer? Ouçam com atenção e comam o quê é bom". (Isaías 55:2). Jesus disse: "Nem só de pão viverá o homem mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4:4).

Diferente de dietas negativas, as escrituras não mostram o quê você tem que desistir, mas o quê você tem a ganhar. Receba o Pão da Vida que vai retirar a gula que te custa sua saúde e sua felicidade.

"Me guie, Grande Jeová,
Peregrino nesta terra desnuda;
Eu sou fraco, mas Tu és poderoso;
Me segure com sua mão poderosa;
Pão do céu, me sacie até que eu não queira mais!" (William Williams)

IRA

O escritor Fredrick Buechner escreveu: "Dos sete pecados capitais, a ira é talvez o mais divertido. Para lamber suas feridas, para morder os lábios sobre mágoas já passadas, para rolar sua língua sobre a expectativa do confronto que está chegando, o sabor do último bocado de dor que você está causando e recebendo de volta, de muitas formas é um banquete de rei. O maior inconveniente é que você está devorando a si mesmo. O esqueleto do banquete, é você".

A Estrela de Passadena publicou a história de um missionário de Chicago e sua esposa que estavam discutindo sobre quem havia servido mais almas. Para provar que estava certo, ele a espancou. Aí ela atirou nele e (você está surpreso?) foi julgada inocente.

Alguém perguntou a um texano porque antigamente ladrões de cavalos eram enforcados e assassinos recebiam condicional. Ele disse que no Texas haviam algumas pessoa que precisavam ser mortas, mas não cavalos que precisassem ser roubados.

O Velho Testamento restringiu o fim da violência "Não matarás". O Novo Testamento restringe o começo da violência. " Não irai-vos". Jesus disse: "Vocês ouviram o que foi dito aos antigos, "não matarás", e "quem matar será sujeito a julgamento". Mas eu vos digo que todo aquele que, sem motivo, se irar contra seu irmão está sujeito a julgamento, e qualquer que disser a seu irmão Raca, está sujeito ao Sinédrio. Mas quem disser tolo! Está sujeito ao fogo do inferno." ( Mateus 5:21-22)

Ira é o sexto dos sete pecados capitais. É um pecado que certamente todos nós já cometemos e alguns continuam com regularidade. Jesus considera isso uma forma alternativa de assassinato. Como disse Mark Twain: "Eu nunca matei ninguém, mas as vezes eu leio o obituário com muito prazer".

Alguns cristãos podem ser tão bravos quanto um pit bull mascando chiclete, e ainda assim desculpar seu temperamento dizendo que é o seu jeito. Eles tem um perverso orgulho em serem francos e honestos.

Um homem disse ao seu pastor: "Eu sei que tenho um temperamento ruim. Eu acredito que seja minha cruz." Seu pastor disse (com amor, espero): "Não é sua cruz, é a cruz da sua esposa, e seu pecado".

Isso não significa que toda ira seja pecado. Paulo escreveu: "Irai-vos, mas não pequeis" (Efésios 4:26). È fácil de falar, mas como podemos faze-lo? Como podemos ser bons e irados? Jesus nos mostra como. Diferente de muitos de nós, ele nunca se irou com coisas que o ofendiam pessoalmente. Mesmo quando estava na cruz ele disse: "Pai, perdoa-os porque não sabem o que fazem".

Ainda que Jesus fosse misericordioso e perdoasse quem o ofendia, ele não tinha palavras de amor quando a ofensa era com os outros, especialmente os pobres ou feridos. Quando as autoridades religiosas o criticaram por curar um aleijado no sábado, ele "olhou ao redor com raiva" (Marcos 3:5). Quando os cambistas no templo tiraram vantagem dos pobres estrangeiros, ele pegou chicotes e os expulsou para fora dizendo: "A casa de meu Pai será chamada casa de oração, mas vocês fizeram dela um covil de salteadores" (João 2:13-17). Ele detonou os escribas e fariseus não pelas coisas terríveis que fizeram contra ele, mas pela forma com que tratavam o fraco e oprimido. (Mateus 23).

Quando o fraco sofre nas mãos de forte, quando o pobre sofre nas mãos do rico, talvez tenhamos que responder pelo pecado de não ficarmos irados. Sem a ira, os cambistas ainda estariam no templo, os negros no último assento do ônibus, as mulheres estariam descalças e gravidas.

Nem toda a ira é pecado, mas algumas são. Da mesma forma que luxúria é freqüentemente confundida com com amor, também os dois lados da ira são mal entendidos. Luxúria e amor são dois sentimentos poderosos de atração: um para conseguir alguma coisa, o outro para dar alguma coisa. Ira é uma emoção poderosa de resistência que também possui dois lados: egoísta e altruísta.. Os dois lados, no entanto, são expressados pela mesma palavra.

O PRINCÍPIO: IRA É RAIZ DE MORTE

Jesus identifica três níveis de hostilidade. Primeiro, há a emoção por si mesma: ira. " Quem se irar contra seu irmão será levado a corte". A verdadeira prova da caridade cristã não é se podemos nos relacionar com ateus ou islâmicos, mas se conseguimos conviver com as pessoas da nossa própria casa. Alguns cristãos são gentis e respeitáveis com os vizinhos e amigos, mas malignos com sua própria família. A bíblia diz que devemos amar nossos irmãos e também nossos inimigos. Algumas vezes, são a mesma pessoa.

A anotação de roda pé da Nova Bíblia Americana diz que alguns manuscritos inseriram as palavras "sem causa". Isso não é o que Jesus disse ou Mateus escreveu. Essas palavras foram colocadas por um escrivão para tirar o ferrão da severidade do ensinamento de Jesus. Todas as pessoas iradas são positivas em sua ira se existe um motivo. È só perguntar e eles dirão tudo a esse respeito. Não é esse o caso. È o espirito maligno interior, independente de quem ou o quê causou a ira.

O segundo nível de hostilidade é desprezo pela pessoa. Jesus disse: "Qualquer que disser a seu irmão Raca, será culpado diante da corte suprema." Que alívio! Pessoalmente, eu não disse Raca para ninguém recentemente, e você? Ah, mas antes de pularmos para o próximo nível, talvez devesse-mos considerar o quê significa Raca. "Raca" é o som que as pessoas fazem quando se preparam para cuspir. O original é hraka. È uma palavra bem feia. Jesus está falando sobre o pecado de tratar alguém com desprezo não verbal. Não existe defesa contra isso. A pessoa irada não disse nada, mas está pronta para cuspir na face de alguém. Tal comportamento é condenado na suprema corte do céu.

O terceiro nível de hostilidade é insulto verbal. Jesus disse: "Qualquer que disser , tolo, será culpado de pena de fogo eterno." Agora sim, estamos falando sobre artilharia pesada, verdadeira violência verbal. Existe um senso comum que palavras não machucam. Nós temos esse ditado: "Paus e pedras podem quebrar meus ossos, mas palavras nunca me atingirão". Mas elas atingem. Especialmente quando provem da boca de irmãos e irmãs, pais e filhos. Algumas crianças precisam de uns tapas, mas nenhuma criança precisa ser insultada. A coisa mais perigosa que um pai pode falar para o filho é: "Você é um idiota!". Crianças crescem em lares onde os tratam como idiotas. Não é de se estranhar que chicoteiem ao redor com ira. Bem cedo eles aprendem a dizer coisas abusivas aos seus irmãos, irmãs, amigos e pais. Maltrato de crianças não é somente físico. Os maltratos verbais são a forma mais comum.

Maridos e esposas, tenham cuidado de como conversam entre si. Se você faz com que seu conjugue se sinta um tolo, você prestará contas não somente para ele ou ela, mas também para Deus. " A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira". (Provérbios 15:1). Se você fala com ira, talvez você faça o melhor discurso do qual se arrependerá para sempre.

Por vezes, o irmão ou irmã ao qual falamos com ira, estão na igreja, são a família da fé. Cristãos irados, falam coisas más e maliciosas uns aos outros. Toda essa ira é pecado. Cuidado com suas palavras. "Fale a verdade em amor" (Efésios 4:15). Se você não consegue falar em amor, é melhor ficar calado. "Seja pronto para ouvir, e tardio para falar e irar-se, porque a ira não produz a vida de justiça que Deus deseja" (Tiago 1:19).

Assim como existem três níveis de hostilidade, existem também três níveis de punição: a corte, a suprema corte e o fogo do inferno. Muitas pessoas pensam que o inferno é somente para pessoas monstruosamente malignas (Attila Hum, Adolph Hitler, etc..). Mas Jesus diz que o fogo do inferno atormenta pessoas respeitáveis que se comprometem com a violência verbal. Alguns já experimentam um tipo de inferno na terra. Eles estão aprisionados num circulo vicioso de ofensa, insultos e ira.......ofensa, insulto e ira........ad infinitum.

Jesus não direcionou essa palavras aos pagãos pecadores, mas aos "corretos" fanáticos, que estavam orgulhosos por não terem matado ninguém, mas que matavam os outros com sua língua ao invés da espada. Jesus disse que tal atitude é pecado.

Ira é somente uma curta palavra de perigo. O perigo não está no que fazemos àqueles que nos iram, mas no que eles nos levam a fazer em nós mesmos. Ao rejeitar nosso irmão em Cristo, nós perdemos mais que um irmão. Nós perdemos nosso Pai Celestial ( I João 4:20-21). Nós perdemos nossa irmandade cristã. Nós nos excomunga-mos de tudo que dizemos amar.

Ainda assim, há muitos que tentam justificar sua ira como "justa indignação". Numa análise mais próxima, entretanto, essa indignação justificada é somente ódio com uma áurea. . Eles escondem malícia debaixo de zelo ortodoxo ou arrogante resolução de expor escândalo. Suas intenções não são de corrigir uma ofensa, mas punir o ofensor. Eles prefeririam que a ofensa não tivesse terminado, do que terminado rapidamente sem violência. Perder as estribeiras é como saltar numa Ferrari, acelerar o motor, sair em alta velocidade e descobrir que os freios não funcionam.

A PRATICA: DUAS ILUSTRAÇÕES

Jesus nos deu dois exemplos. Primeiro: "Se você trouxer sua oferta ao altar, e se lembrar que teu irmão tem algo contra você deixe sua oferta no altar e volte; primeiro se reconcilie com seu irmão, depois apresente sua oferta." (Mateus 5:23-24). Se isso fosse colocado em prática, literalmente, algumas igrejas seriam levadas ou a total harmonia ou à falência. Jesus disse que devemos colocar em primeiro lugar o que vem em primeiro lugar. Nossa adoração é sem sentido quando existe uma relação humana destruída em nosso coração.

Segundo: "Reconcilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz ao oficial de justiça, e te recolham a prisão. Em verdade, em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o ultimo centavo". (Mateus 5:25-26). Existem duas interpretações dessa afirmação. Alguns entendem que Jesus está nos dando um aviso prático : quando relacionamentos interpessoais estão destruídos, a ação imediata irá remenda-los. Atraso irá te custar muito. Outros pensam que Jesus está nos dando um aviso teológico : Coloquem as coisas em ordem entre si, enquanto a vida dura, antes do julgamento do Senhor. As duas interpretações podem estar corretas. Se queremos felicidade agora e eternamente, não devemos nunca deixar uma rixa mal resolvida ou um relacionamento machucado. È muito melhor perdoar e esquecer do que odiar e lembrar. Aquele que te ira, tem controle sobre você.

Júnior sentou num picnic e de repente chorou com grande dor. "Qual o problema?" sua mãe perguntou. "Eu estou sentado numa abelha, ele falou soluçando". "E porque você não se levanta?"

"Eu imagino que estou machucando ela tanto quanto ela a mim!".

Isso pode ser verdade no caso da abelha, mas é raro, se alguma vez o for, no caso daqueles que te machucam ou te iram. Levante-se e faça as pazes. O alívio que você terá será seu.

PREGUIÇA

Eu li outro dia, que ambição é uma pobre desculpa de quem não tem um senso apurado de sua preguiça. Trabalho duro é recompensado no futuro. A preguiça recompensa agora. Como disse James Thumber: "È melhor vadiar e perder do que nunca ter vadiado".

Muitos sermões tem sido pregado sobre o pecado da preguiça, mas são geralmente pregados pelas mães, pais, professores ou patrões. Eles podem ser os profissionais e eu o amador nesse assunto. Eu tenho mais do que um pequeno receio em escrever este sermão. Meu medo não é que pessoas preguiçosas se levantarão em ira e me machucarão fisicamente. Embora o seu número possa ser grande, seu entusiasmo é tão pequeno que não conseguem junta-lo nem para me ameaçar.

Não, o meu medo real é que as pessoas erradas irão ler e responder. Eu temo que os preguiçosos vão embarcar numa viagem fantasiosa para a praia ou parque enquanto os super ativos lerão tudo que escrevi, se sentirão culpados e ficarão mais compulsivos do que nunca.

Por outro lado, pessoas preguiçosas e industriais não são tão fáceis de destinguir. Mesmo o mais diligente entre nós tem algumas áreas preguiçosas em sua vida. Com certeza não há prazer em fazer nada. O real prazer está em se ter muitas coisas por fazer, e ficar atoa! Todos nós somos preguiçosos, mas em diferentes aspectos! Alguns são preguiçosos fisicamente, outros mentalmente e outros espiritualmente. E outros que são preguiçosos. Ponto final!

PREGUIÇA FÍSICA

No Velho Testamento nós lemos: "Vai Ter com a formiga, óh, preguiçoso. Considera seus caminho e seja sábio, que mesmo sem ter patrão, oficial ou legislador, ela armazena comida no verão e junta sua provisão na colheita. Quanto mais para dormir, preguiçoso? Quando acordarás do seu sono? Um pouco para dormir, um pouco para cochilar, um pouco para dobrar as mãos e descansar – e sua pobreza virá como um ladrão e tua necessidade como um homem armado." ( Provérbios 6:6-11).

No Novo Testamento nós lemos: "Mandamo-vos, porem, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que ande desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. Porque vós mesmos sabeis como deveis imitar-nos. Não nos portamos desordenadamente entre vós, nem de graça comemos o pão de homem nenhum, mas com labor e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos esse direito, mas para vos dar em nós mesmo exemplo, para nos imitardes. Pois quando ainda estávamos convosco, vos ordenamos isso: se alguém não quer trabalhar, também não coma. Ouvimos que alguns de vós, andam desordenadamente, não trabalhando, antes se intrometendo na vida alheia. A esse tais, porém, ordenamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão. (II Tes. 3:6-12)

Eu descobri que a Califórnia tem duas reputações diferentes. Algumas pessoas acham que Los Angeles é uma selva de workaholics tipo A. . Outros acham que Los Angeles é um parque de sossegados e desencanados. As reputações são verdadeiras. E ambas falsas. O compasso da vida é ajustado pelo que há em nós, não pelo que está ao nosso redor. Todo lugar que eu morei encontrei pessoas preguiçosas que nunca faziam o que deveria ser feito, e pessoas diligentes que tentavam fazer mais do que o suficiente.

Preguiça é um pecado contra Deus que nos chamou para trabalhar. Um dos Dez Mandamentos diz: " Por seis dias trabalharás e fará todo trabalho". È uma violação aos Dez Mandamentos descansar seis dias e trabalhar no sétimo. Deus quer que trabalhemos seis vezes mais do que descansamos. Ele nos dá trabalho até que nossa vida termine e vida até que nosso trabalho termine. Todos à quem Deus deu fôlego, também dá algo para ser feito. O fato de um cristão estar na terra ao invés do céu, é prova de que existe algo importante para ele ou ela fazer. Jesus não nos salvou somente para irmos para o céu, mas para nos transformar em pessoas que fazem diferença no mundo. Pelos céus, o quê você está fazendo na terra? Quero dizer, o quê está fazendo na terra pelos céus? Você não foi salvo para ficar sentado. Foi salvo para servir. Deus não te convidou para seu vinhedo só para comer uvas, mas para trabalhar com a enxada. " Aquele, pois, que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado". (Tiago 4:17)

È ruim quando negócios, governo e indústria são aleijados pela preguiça, mas é pior quando o trabalho de Deus através da igreja, coxeia juntamente em apatia. Algumas pessoas tem desculpas tão boas que não tentam fazer mais nada. Suponha que Deus tenha feito as pessoas tão doentes quanto elas fingem estar....ou tirar o talento que eles dizem não ter.... quando são chamados para fazer algo! Qualquer cristão, independente de sua vocação, que não está trabalhando em nenhum empreendimento do Reino de Deus, quebrou seu contrato e está de greve contra o Todo Poderoso.

Negócios não é necessariamente a cura para a preguiça. Sócrates disse: " Ocioso não é somente o que não faz nada, mas é ocioso aquele que deveria estar trabalhando". Isso me faz lembrar do empregador que perguntou ao trabalhador: "Porque você está carregando dois tijolos, enquanto os outros levam quatro? O trabalhador respondeu: Eu não sei chefe, eu acho que eles são muito preguiçosos para fazer duas viagens!"

Ocioso é aquele que deveria estar trabalhando. Você está carregando dois tijolos enquanto os outros levam quatro? A bíblia oferece três boas diretrizes para o melhor trabalho: "Em todas as coisas, o que quer que faça...."

"Faça para glorificar a Deus" (I Cor. 10:31)
"Faça tudo em nome de Jesus" ( Col. 3:17)
"Com todo coração como se trabalhando para o Senhor" ( Col. 3:23)

Considere o que você fez a semana passada e planejou para fazer nesta. Pergunte a você mesmo: "Estou fazendo isso para a glória de Deus, no nome de Jesus, de todo meu coração, como se trabalhando para o Senhor?"

PREGUIÇA MENTAL

Johanm G. Seume disse: "Ócio é a burrice do corpo, e a burrice, é o ócio da mente". Alguém pode ser ambicioso fisicamente e mentalmente preguiçoso. Eu me lembro de um aviso que li: "Quando eu trabalho, eu trabalho duro; quando eu sento, eu sento á vontade, quando eu penso, eu caio no sono." Alguns cristãos tem hematomas de cama no cérebro. Eles não tem lido nada mais pesado do que o jornal da manhã ou tem experimentado um pensamento fresco durante anos. Seu hiperativismo pode ser uma forma de fugir dos horrores da preguiça mental. Com corações vazios e mentes desocupadas, eles congestionam suas vidas com coisas banais. Eles se recusam a parar para meditar quando o vazio interior ecoa um som desesperado. Eles estão ocupados porque aquietar-se os aterroriza. Eles são fisicamente ativos e mentalmente preguiçosos.

PREGUIÇA ESPIRITUAL

Use ou perca, é a solene opção para qualquer capacidade humana. G. K. Chesterton disse: "Eu não creio no destino que caí sobre homem por qualquer coisa que faça; mas eu creio num destino que caí sobre ele a menos que faça algo." Como músculos preguiçosos, mentes preguiçosas atrofiam, portanto almas preguiçosas geram flacidez espiritual pela falta de exercício.

Os antigos teólogos latinos o chamavam pecado de Acadia ou Triticia (desanimado). È o tipo de indolência que provem da indiferença ao que é bom. È o estado de espírito no qual, mesmo que o bem tente brincar conosco, não temos o barbante para corresponder.

Nós não temos direito de esperar coisas grandes de Deus a menos que estejamos desejosos de realizar grandes coisas para Deus. Lembre-se do diretor do coral que sonhou que morreu e foi para o céu. Ele disse para o arcanjo: "Eu gostaria de ter 10.000 sopranos para meu coral."

"Certamente, o que você quiser".

"Eu gostaria de ter 10.000 contraltos"

"Claro, sem problema"

"E eu gostaria de ter 10.000 tenores".

"Qualquer coisa que desejar".

Então ele se virou para sair. O arcanjo perguntou: "E os baixos?"

"Ah, o diretor do coral disse, ‘Eu vou cantar o baixo".

Se Deus é realmente seu sócio, temos que fazer nossos planos grandes!

O antídoto eficiente para o veneno da preguiça é fé, esperança e amor (I Cor. 13:13)

 

Fé na palavra verdadeira de Deus,
Esperança nas promessas de Deus,
Amor pelo eterno reino de Deus.

Paulo concluí seu grande capítulo sobre nossa ressurreição final com essas palavras: "Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão." (I Cor. 15:58).

Aqueles que crêem que não há vida além dessa, podem facilmente perder esperança no esforço humano e cair vítima da preguiça. "Que diferença faz?" Eles podem perguntar. Mas para nós que acreditam que os céus estão nos esperando, temos uma razão firme para a diligência. Nada do que fazemos para Deus, é em vão.

Não deixe ninguém ouvir seu ócio dizer:
Não há nada que eu saiba fazer!
Enquanto as almas dos homens estão morrendo,
E o Mestre chama por você.
Receba a tarefa que Ele te dá com alegria,
Deixe que o Seu trabalho seja seu prazer,
Responda rápido quando Ele chamar:
"Aqui estou; envia-me a mim!" (autor desconhecido)